Notícias

Chuvas são previstas essa semana. População deve ficar atenta e eliminar criadouros do mosquito da dengue

Quando o assunto é dengue, o período de estiagem em Pato Bragado e região causa a impressão de que o momento é de calmaria. Como não há incidência de chuvas, não há proliferação do mosquito Aedes aegypti. Mas é preciso considerar que esse ano, o município já passou por uma epidemia da doença com a confirmação de centenas de pessoas infectadas.

Os agentes de Endemias da Secretaria Municipal de Saúde informam que mesmo com o tempo seco, os mosquitos continuam fazendo a postura dos ovos. Segundo eles, com o término desse período de poucas chuvas, os ovos eclodem e, no máximo em oito dias, o mosquito está formado. “Basta que um mosquito vetor da doença pique uma pessoa infectada para que rapidamente o vírus se dissemine no município”, alertam.

 

CUIDADOS

A principal forma para combater a proliferação das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti é evitando a multiplicação do mosquito, portanto, com as chuvas ainda isoladas, deve-se aproveitar a estiagem para fazer ações que costumam demandar mais tempo, como a limpeza das calhas, das caixas de água e das piscinas.

Potes de água dos animais de estimação, pratos que ficam embaixo de vasos de plantas, baldes, banheiros que não são frequentemente utilizados e até brinquedos espalhados pelo quintal precisam de atenção, já que os ovos do mosquito permanecem no recipiente por até um ano, mesmo sem água, esperando o momento exato para eclodir.

Outros locais propensos à criação dos mosquitos são pneus, cisternas e terrenos sem ocupação, em que há o risco das pessoas jogarem algo que pode acumular água.