Notícias

Pato Bragado repassa premiação a alunos com a melhor higiene bucal

Ontem (18), o projeto Sorrisos na Escola deixou 15 alunos das turmas de primeiro ao quinto e classe especial de Pato Bragado ainda mais felizes. Os que desenvolveram hábitos de higiene bucal corretos e regulares durante o ano foram premiados com brinquedos pedagógicos. 

Desenvolvido pela Secretaria de Saúde em parceria com a Escola Municipal Marechal Deodoro, o projeto foi implantado na atual gestão do prefeito Leomar Rohden, vice Dirceu Anderle, com a disponibilização do consultório e quatro profissionais para atendimento dos casos clínicos em alunos e também familiares.

No início desse ano esse trabalho foi intensificado pela odontóloga, Vivian Larsen Kieling dos Santos e a auxiliar Nerli Morais Kopsell. Elas promoveram a formulação de um cronograma de horários estabelecidos para cada turma que passou a ter uma supervisão intensificada da escovação, uso de flúor e todas as práticas disciplinadoras para  uma eficiente higiene bucal, no escovódromo, construído com recursos da Associação de Pais, Mestres e Funcionários (APMF) do educandário e Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE).  

Com o escovódromo, a Secretaria de Saúde também repassou quites de higiene bucal e assim, toda semana, a partir desse cronograma de acompanhamento das turmas, Vivian e Nerli realizam a evidenciação da placa bacteriana, procedendo com intervenções clínicas no próprio consultório do educandário ou com encaminhamento a centros especializados, em casos de tratamentos mais complexos.

“Iniciamos o ano com acompanhamento de 310 alunos. Destes, 206 estavam com cáries. Alguns, inclusive contavam com 100% dos dentes cariados. Nesse tempo, além dessa supervisão e atendimento nos consultórios, os pais foram chamados e realizamos um trabalho de conscientização e aconselhamento para que colaborem no tratamento dos filhos”, conta a dentista.

Segundo ela, infelizmente apesar das conversas com os pais e recados transmitidos pelos alunos, não conseguiram a adesão de todos. “Muitos não traziam os filhos nos horários estabelecidos e isso prejudicou o tratamento, pois só apareciam em casos de dor”, revela.

Mesmo diante desse fator negativo, Vivian e Nerli estão satisfeitas com  os resultados desse trabalho mais intensificado, já que as cáries foram eliminadas em 60% dos 206 alunos. Elas garantem que com o apoio da Secretaria de Saúde e da Escola, o projeto terá sequência em 2020.